O Movimento Nossa Ilha Mais Bela encomendou ao IBOPE uma pesquisa com a população local, veranistas e turistas para saber como eles percebem a cidade e o que desejam para a melhoria da qualidade de vida em Ilhabela. Foram ouvidos 404 moradores dos bairros da região urbanizada da Ilha, 100 veranistas que possuem casa na Ilhabela e vêm à cidade com freqüência, 100 turistas eventuais e mais 200 moradores da cidade de São Paulo. Voluntários ligados ao Movimento entrevistaram 38 moradores das comunidades tradicionais de Castelhanos e Bonete.

A pesquisa revelou que Ilhabela é percebida como um lugar privilegiado, motivo de orgulho para seus moradores e visitantes. As belezas naturais, o contato com a natureza e tranqüilidade são os aspectos mais valorizados.

A atividade turística é vista como vocação econômica prioritária de Ilhabela e de fundamental importância para seus moradores – tem sido o motor de seu desenvolvimento! O aparelhamento turístico da cidade quanto a serviços é reconhecido em todos os públicos.

Por outro lado, a cidade tem problemas estruturais, acentuados pelo forte fluxo de turistas. O mais grave é o saneamento básico deficiente, que além de ser apontado como maior problema, é o serviço público pior avaliado, seguido por trânsito e ocupação desordenada, na opinião de veranistas.

Na esfera social, chama a atenção a problemática das drogas, apontada com a mesma força de desemprego e saúde, como questões que mais preocupam a população.

Ainda, vale a pena ressaltar que apesar da predominante sensação de segurança, o alto índice de menções espontâneas relativas a formas de violência, além da baixa avaliação na questão, indicam uma possível deterioração da atuação do poder público nesta área

A cidade como um todo é bem avaliada em todos os públicos. De uma forma geral, os serviços do município são sistematicamente mais bem avaliados entre os moradores. A limpeza pública está positiva no que diz respeito a recolhimento de lixo e varrição, mas deixa a desejar no cuidado com canais, córregos e bueiros.

Os moradores também percebem melhora nos serviços de educação e saúde prestados pelo poder público municipal no último ano.

Veranistas e turistas avaliam positivamente as opções de lazer e esportes da ilha, mas queixam-se dos altos custos dos serviços, assim como a população sofre com o custo de vida elevado.

Estacionamento, facilidade de locomoção e trânsito são aspectos críticos para os visitantes de Ilhabela.

Na bateria de instituições testadas, a Prefeitura e a Câmara Municipal são as que apresentam menor índice de confiança na população.

Apesar da baixa participação em atos de reivindicação e movimentos sociais, há uma disposição latente na população para mobilização. Além disso, observa-se grande conhecimento dos problemas e dos efeitos do turismo para a Ilhabela.

Acreditamos que esses fatores, somados à forte identificação com o local, compõem um cenário favorável para o envolvimento da população na discussão e implementação de ações para o desenvolvimento sustentável de Ilhabela.

Acesse todas as pesquisas na Biblioteca